03.03.2019 | 16h31

Crivella: ‘Não cabe mais político com dimensão carnavalesca’

Após passar o último Carnaval fora do Rio de Janeiro, neste ano, o prefeito Marcelo Crivella (PRB) decidiu acompanhar a festividade na cidade. “Tenho que ficar, senão o povo briga”, disse ele, que foi para o exterior no ano passado. “O Rio de Janeiro é o epicentro de corrupção e violência. Só vamos vencer essa crise com mudanças de costumes. Não cabe mais aos líderes políticos uma dimensão carnavalesca do cargo público”, disse em entrevista à Folha.

Ele também comentou o primeiro bimestre do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Para ele, o caso de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), e dos laranjas do PSL só “reforça a figura do mito”. “O presidente é claro em dizer que tudo isso tem que ser investigado e esclarecido”, afirmou em seu gabinete.


VOLTAR PARA O ESTADÃO