12.08.2018 | 09h56

Cristianização geral e irrestrita

O mineiro Cristiano Machado foi candidato a presidente em 1950, pelo PSD. Perdeu a eleição para Getúlio Vargas, que levou boa parte dos votos do PSD.

A “cristianização” passou a designar o abandono de candidatos pelos partidos “à própria (falta de) sorte”, como escreve Dora Kramer na Veja, ao apontar a repetição do fenômeno nesta eleição. “São inúmeros os casos país afora. Exemplo dos mais escancarados é o Nordeste, onde os velhos mandachuvas ignoraram as decisões dos respectivos partidos para correr atrás de nacos da herança de Lula.”


VOLTAR PARA O ESTADÃO