16.04.2018 | 12h20

Criminalistas em pé de guerra

Autora de ação que questiona cumprimento de pena após condenação em segunda instância, a OAB reagiu com a mesma intensidade com que foi criticada. Após ser chamada de covarde pelo criminalista Alberto Toron, a entidade afirmou, por meio do presidente Claudio Lamachia, que não é sua função atuar em defesa dos clientes dos advogados.

Em defesa de Toron, ficaram Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, e Roberto Podval. “Se canalizasse a agressividade da sua resposta ao Toron em resposta às dificuldades que enfrentamos, vc honraria esta cadeira que ocupa”, escreve Kakay, em carta publicada pelo Migalhas.


Mais conteúdo sobre:

OABClaudio Lamachia
VOLTAR PARA O ESTADÃO