02.09.2018 | 13h36

Correria no horário eleitoral

As novidades estabelecidas pela minirreforma eleitoral deixaram o horário eleitoral “chato e afobado”. A análise foi feita por Tony Goes, colunista de TV da Folha, a partir dos primeiros dias da propaganda. “Candidatos a senador e deputados estão ainda mais esbaforidos. Muitos aparecem apenas sorrindo na tela, ao lado de seus números. Nem sob a vigência da Lei Falcão, que restringia severamente a propaganda eleitoral no final do regime militar, as campanhas eram tão chatas e pobres”, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO