14.01.2019 | 13h28

Contrato da Funai não seguiu rito legal

O contrato de R$ 44,9 milhões entre a Funai e a Universidade Federal Fluminense, suspenso pelo governo de Jair Bolsonaro, não seguiu o rito legal adequado. O acordo, que previa um censo e a criação de uma criptomoeda indígena,deixou de cumprir requisitos e foi contestado dentro do órgão indigenista, informou a Folha.

“O contrato não cumpre um dos princípios da administração público, o da motivação, já que as áreas técnicas não foram consultadas e, portanto, não puderam dizer se o projeto realmente interessava a elas”, diz Andrea Prado, presidente da Indigenistas Associados, associação de servidores da Funai.


VOLTAR PARA O ESTADÃO