05.01.2019 | 19h00

‘Contrarreforma’ da Previdência militar?

Quase passou batida uma declaração preocupante de Jair Bolsonaro no discurso que fez na transmissão de cargo no Ministério da Defesa. Ele disse que esperava que a medida provisória 2215, de 2001, não completasse 19 anos (na verdade, ela faz 18 em agosto). Trata-se de uma MP, editada no governo de Fernando Henrique Cardoso, que acabou com a promoção automática dos militares que passam para a reserva, o auxílio-moradia e o adicional de inatividade dos militares. A revisão da MP também foi defendida pelo ministro Fernando Azevedo e Silva.

Um dos maiores especialistas do País em Previdência, Pedro Fernando Nery, um dos autores de proposta de reforma do setor encaminhada à equipe de Paulo Guedes, em co-autoria com Paulo Tafner, escreveu no Twitter: “Bolsonaro voltou a defender essa contrarreforma da Previdência. Voltariam a pensão vitalícia para filhas de todos os militares e a promoção na aposentadoria (motivo pela qual o Brasil tem milhares de generais e dezenas de marechais)”. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO