10.02.2019 | 07h00

Continência aos generais

Em sua coluna na revista Época desta semana, a economista Monica De Bolle diz que os generais são o que há de “disciplina e competência” no governo Jair Bolsonaro e, assim, devem ser vistos com bons olhos por aqueles que criticam o grande número de militares em postos de comando. “Os generais sabem que Bolsonaro não foi eleito para ficar atacando marxismo cultural, ideologia de gênero, doutrinação ideológica nas escolas e tantos outros espantalhos mais. Os generais sabem que Ernesto Araújo não conhece a fundo a situação da Venezuela, ao contrário do general Mourão, que lá morou nos anos 2000. Sabem também que mudar a embaixada brasileira para Jerusalém e outras bobagens provenientes do guru cujo nome não merece citação podem trazer imensos prejuízos ao Brasil”, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO