17.10.2018 | 06h14

Contagem regressiva do BR18: faltam 11 dias

Para Jair Bolsonaro, o que resta de campanha virou uma eternidade. Para Fernando Haddad, o tempo é curto. A diferença de timing fica evidente na forma como candidatos e aliados administram o que resta até o segundo turno. No PT, as declarações de Cid Gomes praticamente inviabilizaram a pregação de uma frente ampla em defesa de Haddad. Agora, a única expectativa é de obter mais apoios individuais ou de grupos que apresentem o petista como uma opção mais democrática –o que tende a ter pouco peso para virar votos de forma decisiva. Já a ordem no QG bolsonarista é não errar e só explorar os tropeços do adversário. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO