10.05.2019 | 19h41

Congresso ainda dá sinais de desavença

Apesar do otimismo da equipe econômica do governo em relação à reforma da Previdência, o Congresso ainda dá sinais de desavenças com o Executivo. Míriam Leitão comenta sobre esse assunto em sua coluna nesta sexta-feira, 10, no O Globo. O governo, afirma a colunista, acredita que a reforma da Previdência conseguirá ser aprovada na Câmara até o começo de julho, antes do recesso parlamentar. “Apesar disso, ontem foi um dia de derrota para o governo na Câmara, com a retirada do Coaf da área do ministro Sérgio Moro e o adiamento da votação da MP que reestrutura a administração do governo”, escreveu.

Para a colunista, um dos principais pontos que dificultam a relação com o Congresso são os ataques virtuais proferidos contra parlamentares. Na ocasião da votação a sobre o destino do Coaf, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, publicou em seu Twitter uma lista dos que votaram a favor de retirar o órgão da pasta de Moro. “A gente já não sabe se é o filho ou se é o pai que comanda isso, mas o fato é que eles acham que tudo se passa no mundo virtual”, diz uma fonte no texto.


VOLTAR PARA O ESTADÃO