26.11.2018 | 18h42

Comportamento eleitoral de evangélicos (2)

Coordenador da pesquisa sobre comportamento eleitoral dos evangélicos na eleição deste ano, o antropólogo Ronaldo de Almeida acrescenta que, enquanto a IURD apresenta uma comportamento piramidal, “com poder centralizado e seus candidatos oficiais quase todos concentrados no PRB”, a Assembleia de Deus “funciona como o MDB por ter uma capilaridade grande em todo o País organizada em convenções em torno de certas lideranças, como Wellington Costa, Samuel Ferreira, Silas Malafaia, Marco Feliciano”.

Em um quesito, as candidaturas evangélicas se igualam. “São mais baratas do que a média do Congresso, o que indica uma forte capacidade de coordenação eleitoral de seus fieis, seus templos, trabalhando voluntariamente com uma militância”, afirma.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO