24.08.2018 | 10h11

Como o PT sobrevive

Em sua coluna na revista Época desta semana, Helio Gurovitz cita o livro Partisans, antipartisans, and nonpartisans (Partidários, antipartidários e não partidários), de David Samuels e Cesar Zucco, para entender a força que o PT mantém no Brasil, mesmo após o mensalão, o petrolão e o impeachment.

Com a preferência de quase 40% dos eleitores, o partido se distancia dos outros não pela divisão entre ‘povo’ e ‘elite’, mas por sua “visão sobre valor e propósito da democracia, sobre como cidadãos devem se engajar na política e sobre o desejo por mudança social”, defendem os autores. No entanto, a dependência da figura de Lula é um grande problema para o PT, que ainda não provou que consegue sobreviver sem ele.


VOLTAR PARA O ESTADÃO