02.11.2018 | 15h26

Como a máquina pública se multiplica

A decisão de Jair Bolsonaro de enxugar a estrutura administrativa do governo não é nova. Michel Temer fez movimento parecido, embora mais modesto. Mas já se sabia há tempos que a máquina pública tinha inchado demais.

Quando Lula recebeu a faixa presidencial de Fernando Henrique Cardoso, em 2003, levou junto tuma estrutura governamental com 26 ministérios. Em 2011, quando repassou a Presidência para Dilma Rousseff, esse número já tinha dado filhotes e a petista recebeu 37 pastas. Sem falar nos cerca de 200 mil novos servidores que foram contratados durante os oito anos do governo Lula. /M.M.

 


Mais conteúdo sobre:

reforma ministerial
VOLTAR PARA O ESTADÃO