05.09.2018 | 12h13

Classe média em fuga?

“O PT aceitou correr o risco de frustrar uma fatia de seu eleitorado ao esticar até o limite a substituição de Lula. Dirigentes argumentam que insistir na manutenção do ex-presidente na corrida é a melhor maneira de garantir a fidelidade de petistas de baixa renda —mesmo que a demora afaste a classe média”, escreveu Bruno Boghossian em sua coluna na Folha.

O colunista acredita que a demora do PT em trocar o nome de Lula pelo de Haddad amplia a angústia do eleitorado da classe média, que pode acabar migrando para Ciro Gomes (PDT).


VOLTAR PARA O ESTADÃO