18.09.2018 | 01h10

‘Cironaro’ ataca novamente

Ciro Gomes, abrindo a série de entrevistas no Jornal da Globo, lembrou em alguns momentos um de seus grandes adversário na disputa presidencial: Jair Bolsonaro. Logo de cara o golpe de 1964 veio à tona, assim como em sabatinas do ex-capitão. O candidato do PDT comparou o impeachment de Dilma Rousseff com a deposição de João Goulart, afirmando que ambas são semelhantes porque foram dentro da “legalidade”.


Depois falou sobre sua atuação no período em que foi deputado federal (o “mais infeliz” momento de sua vida, segundo Ciro). Confrontado com a ausência de projetos aprovados, disse que é “absurdo” julgar a atuação de um parlamentar por essa régua. Por coincidência, Bolsonaro usou a mesma desculpa mais cedo, em um tuíte. “Resumir a atuação parlamentar à aprovação de leis, ou é sinal de incompetência para entender como funciona o poder legislativo, ou é má fé para induzir as pessoas ao erro”, escreveu o ex-capitão.

Mais conteúdo sobre:

Ciro Gomes
VOLTAR PARA O ESTADÃO