14.02.2019 | 07h17

Chamem os generais

Caberá aos generais tentar contornar a bagunça provocada pela fritura de Gustavo Bebianno pelas redes sociais e pela TV, sob o comando de Carlos Bolsonaro e com o beneplácito do presidente-pai, Jair. A área de inteligência do governo considera precedente gravíssimo o vazamento de conversas privativas do presidente. Também não aprova a interferência da família na gestão. Ao autorizar a impostura do filho e endossá-la, Bolsonaro mostra que não entende a dimensão republicana do cargo que ocupa. Mais digno seria demitir o ministro de uma vez. Escrevi sobre esse e outros desdobramentos da crise política em análise para a edição desta quinta-feira do Estadão. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO