25.11.2018 | 11h04

‘Chamar de medieval é ofensa aos medievais’

O jornalista Rolf Kuntz se juntou as vozes preocupadas com a escolha de Ricardo Vélez-Rodríguez para o Ministério da Educação. “O futuro ministro pode ter alguma ideia útil e relevante sobre política educacional, mas também se absteve, pelo menos até sexta-feira, de comunicá-la ao público”, disse em artigo de opinião publicado no Estadão deste domingo.

“Basta pensar num aspecto da educação, sua importância como fator produtivo, para ver com horror o nível das preocupações do futuro presidente e de seus aliados. Chamar de medieval esse nível de pensamento é ofender a memória de figuras como São Tomás, Roger Bacon e Guilherme de Ockham.”


VOLTAR PARA O ESTADÃO