27.02.2019 | 20h29

Cauê Macris se defende

Com a eleição para presidente da Alesp se aproximando e com a tropa de Janaína Paschoal pressionando parlamentares para votarem na deputada, Cauê Macris decidiu ir à internet se defender após o Estadão revelar que  repassou R$ 266 mil de sua campanha a deputado estadual em 2018 para o posto de gasolina do qual é sócio. Segundo Macris, todas as informações foram declaradas por ele em sua prestação de contas, aprovada pela Justiça Eleitoral. “Essa informação foi retirada do contexto da prestação de contas e jamais passaria desapercebida pela Justiça Eleitoral”, afirmou.

Assim como justificou para a reportagem, ele disse que a transferência foi feita como forma de facilitar os pagamentos de cabos eleitorais no interior. “O pagamento, por determinação da legislação eleitoral, precisa ser feita em cheque nominal a todos os cabos eleitorais e colaboradores e muitos deles nem conta tem, eles teriam que vir até São Paulo para trocar o cheque. Para agilizar o pagamento, a fim de não desmotivar inclusive quem trabalhou em nossa campanha, descontamos o cheque em empresa, para pagar todos os funcionários. Temos inclusive todos os recibos de quem trabalhou conosco”, disse em vídeo publicado em seu Facebook.


VOLTAR PARA O ESTADÃO