04.02.2019 | 23h00

Carta do BR18: Moro apresenta suas armas

O ministro Sérgio Moro (Justiça) apresentou nesta segunda-feira seu esperado pacote anticrime. O “début” do ex-juiz na seara da negociação política se deu com a apresentação das propostas aos governadores e, depois, à imprensa. Foi o ensaio para uma negociação que deverá ser difícil para que as medidas passem num Congresso em que há vários potenciais atingidos por medidas que endurecem penas, a que tipifica o caixa dois como crime e a que transforma em lei o cumprimento de pena após condenação em segunda instância.

Além de serem de difícil aceitação pelos políticos, algumas das medidas são controversas entre operadores do direito e especialistas em direitos humanos. Entre elas está o polêmico excludente de ilicitude para policiais, defendido por Jair Bolsonaro na campanha e que Moro criticava, mas acabou incluindo no pacote.

Na economia, a proposta de reforma da Previdência teve a minuta revelada pelo Estadão e se revelou mais ousada e abrangente do que vinha sendo ventilado. O governo quer que a idade mínima para aposentadoria seja de 65 anos para homens e mulheres. O texto final dependerá de aval de Jair Bolsonaro, cuja alta hospitalar não será mais na quarta-feira. Assim como no caso do pacote de Moro, a Previdência dependerá de uma complexa negociação com o Congresso, que ontem realizou sessão solene de início dos trabalhos. Na mensagem de Bolsonaro, lida pelo ministro Onyx Lorenzoni, a Previdência e os projetos na área de segurança aparecem como prioridades.

Os ecos da tumultuada eleição para a presidência do Senado ainda se fazem sentir na Casa. Renan Calheiros, o grande derrotado, enfrenta resistências na bancada e nos demais partidos para seu projeto de comandar q poderosa Comissão de Constituição e Justiça. Quer saber mais dessa e de outras notícias da política? Fique ligado na newsletter do BR18!/Vera Magalhães

VOLTAR PARA O ESTADÃO