09.03.2019 | 09h29

Canetada de Nardes para livrar empreiteiras

Investigado na Operação Zelotes e alvo de delações em desdobramentos da Lava Jato fluminense, o ministro Augusto Nardes, do TCU, suspendeu um processo em que quatro empreiteiras envolvidas na Lava Jato haviam sido impedidas de firmar contratos com a União, informa o Estadão. A justificativa é discutir com elas algum tipo de cooperação formal, apesar de o órgão nem sequer poder fechar acordos de leniência. São elas: Queiroz Galvão, UTC Engenharia, Techint Engenharia e Ebec.

Pela sanção aplicada anteriormente pelo próprio tribunal, em 2017, as empreiteiras deveriam ficar cinco anos impedidas de contratar com a administração pública. Há, inclusive, um parecer da área técnica do TCU que desaconselha qualquer tipo de acordo sem a confissão prévia de irregularidades pelas empresas. Conforme o documento, a colaboração só poderia existir se contribuir para o ressarcimento dos danos. Seus colegas de TCU também afirmaram à reportagem que Nardes não poderia ter agido à revelia dos demais. Procurado, Nardes afirmou que não comentaria o caso.


VOLTAR PARA O ESTADÃO