06.11.2018 | 09h08

Candidato ou presidente?

“A ideia de mudar a sede da diplomacia era um acordo do então candidato do PSL com líderes evangélicos. A promessa caiu bem entre esses eleitores (que deram 70% de seus votos a Bolsonaro), mas pode prejudicar as relações comerciais”, escreveu Bruno Boghossian na Folha.

O colunista avalia as consequências da intenção do presidente eleito de mudar a embaixada brasileira em Israel para Jerusalém. Boghossian diz que Bolsonaro, a partir de 2019, deverá escolher entre os compromissos de um candidato e os conflitos concretos de um presidente.


VOLTAR PARA O ESTADÃO