25.05.2018 | 12h51

Caminhoneiros: greve ou locaute?

Diante da suspeita de que as transportadoras estão por trás do movimento dos caminhoneiros e são as que mais ganharam com ele, não faz sentido chamá-lo de “greve” ou de “paralisação”. O mais apropriado no caso seria chamá-lo de locaute, uma prática proibida no Brasil, pelo protagonismo desempenhado pelos empresários do setor em sua eclosão.

Apesar de os autônomos da categoria estarem na linha de frente do protesto, eles prestam serviço às transportadoras. São elas, portanto, que determinam o quanto eles receberão pela empreitada e que “botam pilha” nos caminhoneiros, para evitar o reajuste nos preços dos fretes e o aumento dos custos. A pergunta que fica é quem vai tomar as providências judiciais para punir os reais responsáveis pela paradeira geral do País? / José Fucs


VOLTAR PARA O ESTADÃO