15.02.2019 | 13h00

Cada um com a sua vocação

As reportagens indicando o uso de candidatas laranjas pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, na última eleição apontam, segundo o colunista Hélio Schwartsman, demonstra que a sigla tem uma vocação para a picaretagem. As suspeitas que recaíram sobre o partido criaram a mais recente crise no governo, com direito a filho e presidente acusarem o ministro Gustavo Bebianno de “mentir”.

“O presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, sem ter como explicar as peculiaridades das operações, preferiu atacar a legislação, que estabelece uma cota mínima de 30% das candidaturas (e das verbas) para mulheres. Para Bivar, política é uma questão de vocação”, escreveu na Folha.


VOLTAR PARA O ESTADÃO