13.03.2018 | 09h09

Bruno Covas e Doria: fidelidade ou traição?

Aliados de João Doria estão com a pulga atrás da orelha com o vice-prefeito, Bruno Covas. Temem que assim que o prefeito renunciar ao cargo, o que ocorrerá até 7 de abril, o vice, de posse de sua cadeira, lhe dê as costas. A desconfiança tem origem na briga séria que ambos tiveram no fim de 2017, que levou à destituição de Covas da Secretaria de Prefeituras Regionais. Ele não engoliu o episódio.

Agora, por conveniência própria, Covas é o principal operador da esperada vitória de Doria nas prévias. É ele, não o prefeito, que tem força na máquina partidária. Mas como será o “day after”? É esperar para ver. / V.M.


Mais conteúdo sobre:

João DoriaBruno Covas
VOLTAR PARA O ESTADÃO