06.11.2018 | 07h32

Brasil chamuscado

Jair Bolsonaro brinca com fogo na política externa, mas quem pode sair chamuscado, inclusive comercialmente, é o Brasil. Em sua coluna nesta terça-feira, Eliane Cantanhêde aborda declarações e propostas polêmicas do presidente eleito nas relações internacionais e lembra que o viés ideológico e alinhamento automático aos EUA não são boas políticas nessa área.

“Política externa é ‘de Estado’, não ‘de governo’, mas é óbvio que novos presidentes têm direito de fazer ajustes, calibrar o tom e deixar a sua marca nas relações com o mundo. Só não podem dar cavalo de pau, porque política externa se faz com credibilidade e estabilidade, para não atrair retaliações imediatas ou perda de imagem do País a médio prazo”, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO