01.03.2019 | 08h25

‘Bônus’ de R$ 5 mi por cabeça

À medida que a realidade se impõe no Legislativo ao governo federal, o pacote de bondades engorda para saldar faturas de apoio à aprovação da reforma da Previdência. Depois do “banco de talentos“, traduzido como “indicação política” por Davi Alcolumbre, o Palácio do Planalto estuda agora liberar até R$ 5 milhões a cada parlamentar em primeiro mandato para realização de obras em seus redutos eleitorais, informa o Estadão. Esse valor seria uma espécie de bônus para os novatos, já que eles só terão direito às emendas parlamentares a partir de 2020.


VOLTAR PARA O ESTADÃO