06.12.2018 | 16h41

Bolsonaro sem seus ‘mosqueteiros’?

Jair Bolsonaro vai terminar sua semana vendo dois de seus principais mosqueteiros no Congresso colocados em xeque. Seu futuro ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, será alvo de uma investigação para apurar suposta caixa 2 nas campanhas eleitorais do deputado. O presidente avisou que caso surja algo mais robusto terá que “usar a caneta bic” e dispensar o aliado, o que deve agradar parte da ala militar do governo. Já Magno Malta, que esteve ao lado de Bolsonaro durante toda a campanha (promovendo até mesmo imagens diretamente do hospital após o atentado e protagonizando uma oração em rede nacional após a eleição) parece estar de vez fora do tabuleiro. Declarou até que “seu compromisso com Bolsonaro acabou”. Tudo porque foi preterido na escolha ministerial.

Para salvar a lavoura no Congresso, há uma parlamentar que pode não ter pedido votos para Bolsonaro no primeiro turno, mas cujo nome ganhou força nos últimos dias para integrar o governo: Ana Amélia. A senadora está livre, leve, solta e parece ter virado a “menina dos olhos” do presidente eleito.


VOLTAR PARA O ESTADÃO