10.10.2018 | 08h07

Bolsonaro mira lei de trabalho escravo

Na lista de temas que Jair Bolsonaro aos poucos vai prometendo rever ou flexibilizar entrou a legislação que trata de trabalho análogo à escravidão. Passou meio batida na entrevista que deu logo na segunda-feira à Jovem Pan sua crítica ao que chamou de “ativismo fiscalizatório” em relação a denúncias de trabalho escravo. Recorrendo a um exemplo, disse que um proprietário rural pode ser punido pela prática em casos que ele acha questionáveis até com a expropriação do imóvel. Para ele, “isso não pode continuar acontecendo”. Bolsonaro não esclareceu se quer mudar a legislação, que está em vigor desde 2003.

No ano passado, uma portaria do Ministério do Trabalho tentou alterar as definições de trabalho forçado, jornada exaustiva e condições análogas à de escravidão. Diante da reação negativa do Ministério Público, da Justiça e da imprensa, o governo Michel Temer recuou e o então ministro, Ronaldo Nogueira, caiu.  / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO