25.10.2018 | 08h04

Bolsonaro e Mussolini

“Em política, palavras são atos. Falar é fazer. A liderança política age na linguagem e, pela palavra, agrega ou divide seus pares e seus seguidores. Disso sabemos, certo? Talvez não. Apoiadores de Bolsonaro (refiro-me àqueles minimamente ilustrados) desprezam as palavras dele”, escreveu Eugênio Bucci no Estadão.

O jornalista e colunista reúne as últimas declarações polêmicas de Jair Bolsonaro (PSL) contra ativistas de movimentos sociais, imprensa e adversários políticos , para afirmar que nem Mussolini se atrevia a tanto, pois sabia que a liberdade tinha defensores atentos. E termina questionando se hoje nós também temos.


VOLTAR PARA O ESTADÃO