13.03.2019 | 11h59

Bolsonaro diz não lembrar de suspeito de matar Marielle

Em um café da manhã com jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro disse não lembrar do policial militar reformado Ronnie Lessa, preso em casa, no mesmo condomínio de Bolsonaro no Rio de Janeiro, na terça-feira, 12, sob suspeita de assassinar a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e o motorista Anderson Gomes.Segundo Carlos Alberto Di Franco, colunista do Estadão, que participou do encontro, Bolsonaro afirmou que existem 150 casas no condomínio, que não há área de lazer no local e que não tem como conhecer todos os moradores. Também afirmou que outras pessoas já foram presas em seu condomínio, incluindo uma pessoa envolvida na Operação Lava Jato.

Segundo o delegado do caso, Giniton Lages, um dos filhos do presidente teria namorado uma das filhas de Lessa. Sobre isso, o presidente disse ter questionado um de seus filho, Jair Renan, sobre a relação, mas ele não confirmou a informação. “Papai, namorei todo mundo no condomínio, não lembro dessa menina”, teria dito Jair Renan, segundo Bolsonaro, informou o Broadcast Político.


VOLTAR PARA O ESTADÃO