05.07.2018 | 06h30

Bolsonaro, Ciro e o risco

Ao adotar o discurso da “humildade”, por meio do qual adota respostas como “não sei tudo”, “vou consultar” e “aceito sugestões”, Jair Bolsonaro adota uma clara estratégia de dar declarações, principalmente na seara econômica, que possam ser mal digeridas pelo mercado. Ele explicitou a tática no encontro da CNI com presidenciáveis: “Melhor dizer que não sabe que cometer algum lapso”.

Já Ciro Gomes (PDT) pratica o oposto: a todo momento diz que é melhor ser sincero que “enganar” a plateia. Com esse propósito, defendeu controle de câmbio e juros, a volta do BNDES como indutor do desenvolvimento e revisão da reforma trabalhista, o que levou uma parte da plateia a reagir negativamente. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO