27.02.2019 | 13h36

Benevides ‘não aceita’ capitalização sem contrapartida

Cotado para presidir a comissão da reforma da Previdência na Câmara, o deputado Mauro Benevides Filho (PDT-CE) é defensor de um outro tipo de capitalização ao proposto pela equipe do ministro Paulo Guedes. A ideia do ex-secretário da Fazenda é conjugar a capitalização ao modelo de repartição por causa do envelhecimento da população. “A proposta do governo não prevê a contribuição patronal. E isso nós não podemos aceitar, e vamos blindar”, afirmou ele à revista Carta Capital.

“Nós propusemos que, acima de um determinado valor, haveria a capitalização de contas individuais. Com a contribuição do trabalhador e a contribuição patronal, que é o modelo de 60 países que eu pesquisei. O Paulo Guedes está se inspirando no modelo do Chile. Lá, não há contribuição patronal. Foram tantas greves e tantas manifestações que até o Chile está propondo agora, nesse momento que eu lhe falo, uma alíquota patronal para reforçar os ganhos dos trabalhadores”, detalhou.


Mais conteúdo sobre:

Mauro Benevides Filhoprevidência
VOLTAR PARA O ESTADÃO