15.03.2019 | 08h08

Associações de procuradores reagem a inquérito

Associações ligadas ao Ministério Público reagiram à abertura de um inquérito criminal sigiloso pelo STF, sem objeto definido, para investigar supostas ameaças a ministros e à Corte. A entidade afirmou, em nota, que o presidente do Tribunal, Dias Toffoli, usurpou competência da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pois só ao Ministério Público caberia pedir a abertura de inquérito.

Os procuradores lembram que na Segunda Turma do próprio STF foi considerado ilegal e anulado um pedido de abertura de inquérito feito por Gilmar Mendes para investigar a remoção entre presídios do ex-governador Sérgio Cabral. Na época, Dodge arguiu a ilegalidade.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO