15.03.2018 | 06h41

Assassinato de vereadora do RJ põe intervenção em xeque

O assassinato da vereadora Marielle Franco, do PSOL do Rio, é o mais duro teste à intervenção federal no Rio, que completa um mês nesta sexta-feira. Se ficar comprovado o envolvimento de policiais militares na morte de Marielle e mais uma pessoa na noite de quarta, os questionamentos à eficácia da presença federal na segurança pública do Estado se intensificarão. Ela vinha denunciando PMs e suas ações na região de Irajá.

O governo já está de alerta para o risco de aumentarem os questionamentos. O ministro Raul Jungmann (Segurança) ficou em contato com o interventor, Walter Braga, ao longo da madrugada, ofereceu a ajuda da Polícia Federal para apurar o caso e pode ir ao Rio para demonstrar que está pessoalmente empenhado em apurar o caso com rapidez. /V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO