21.11.2018 | 18h13

As manobras de Renan para presidir o Senado

Ele nega, mas nos bastidores, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) busca apoio entre os novos parlamentares e os amigos da “velha política”, para ser reconduzido à Presidência da Casa, que ocupou de 2013 a 2017, e consequentemente do Congresso. Reeleito para o quarto mandato, apesar de ser alvo de 14 inquéritos no STF, Renan já teria assegurado, segundo cálculos informais, cerca de 20 votos para a sua candidatura, do total de 81 senadores.

O apoio a Renan, de acordo com parlamentares, viria especialmente de senadores que têm mandato a cumprir e não participaram das eleições e de deputados que conseguiram se eleger para o Senado, em particular os que têm processos na Justiça e precisam de alguém na mesma situação na presidência — responsável pelo controle da pauta das votações — para defendê-los.  Num momento em que o País votou em massa pela renovação e contra o establishment político e a corrupção, seria bizarro começar o novo governo com Renan Calheiros na presidência do Senado. / José Fucs


VOLTAR PARA O ESTADÃO