28.04.2019 | 06h36

As dores do crescimento

Episódios da semana envolvendo três parlamentares relativamente jovens –a deputada federal em primeiro mandato Tábata Amaral (PDT-SP), de 25 anos, o vereador fluminense Carlos Bolsonaro (PSC), de 35, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de 48– mostram que maturidade é uma característica fundamental para o exercício da atividade política. Trato do tema na minha coluna deste domingo no Estadão, que analisa acontecimentos tendo os três como protagonistas e que permitem constatar que não é a idade que confere o amadurecimento a um político.

A novata Tábata mostra uma disposição ao diálogo que o veterano Carlos, vereador desde os 17, não adquiriu. Graças ao sectarismo e uma certa infantilidade, o filho do presidente transforma uma picuinha com o vice-presidente, Hamilton Mourão, num problema de Estado. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO