14.03.2019 | 07h15

‘Armas fazem tão mal quanto um carro’

Eduardo Bolsonaro sentiu a necessidade de defender as armas de fogo bem no dia em que oito pessoas foram mortas por atiradores dentro de uma escola em Suzano (SP). Se por ocasião da flexibilização do porte o ministro Onyx Lorenzoni comparou armas com liquidificadores, desta vez o deputado e filho do presidente eleito preferiu traçar um paralelo entre pistolas, rifles e carros.

“A minha crítica é que no Brasil deveria existir também um estudo sobre o uso defensivo da arma de fogo, e não apenas o uso agressivo. E a gente sempre vai na argumentação que a arma é um pedaço de metal. Faz tão mal quanto um carro. Ou seja, para fazer mal, precisa de uma pessoa por trás dela. Armas não matam ninguém, o que matam são pessoas. Pode usar pistolas, facas, pedras”, disse.


VOLTAR PARA O ESTADÃO