13.10.2018 | 18h25

Após rejeitar Bolsonaro, Cassini se diz ameaçado

Eduardo Cassini, que concorreu ao governo de Sergipe pelo PSL de Jair Bolsonaro, reclamou de estar sendo ameaçado agora pelos próprios apoiadores do deputado federal. O motivo seria que, fechadas as urnas, Cassini virou a casaca: rejeitou Bolsonaro e declarou apoio a Fernando Haddad (PT) e a Belivaldo Chagas, candidato ao governo de SE pelo PSD e que é apoiado pelos petistas.

“Se decidi apoiar os candidatos apoiados pelo PT é em razão da compreensão de que o projeto atual deles não conflitava com o meu projeto de Brasil, mesmo havendo discordância em alguns pontos. Essa é a minha última manifestação durante o processo eleitoral pois me sinto acuado e intimidado, temo pela minha vida e pela vida dos meus filhos”, afirmou Cassini em nota. O PSL avisou que irá pedir a desfiliação do ex-candidato.


VOLTAR PARA O ESTADÃO