20.09.2018 | 19h49

Após mulheres, agora ‘judeus contra Bolsonaro’

Mesmo com Jair Bolsonaro se tendo se declarado como um defensor do Estado de Israel, um grupo de judeus aproveitou a mobilização “Mulheres contra Bolsonaro” no Facebook para entrar na onda contra o candidato do PSL. Como informa a Folha, foi criado o grupo “Judeus contra Bolsonaro”, que na tarde desta quinta-feira, 20, tinha mais de 4.200 pessoas.

“Ao contrário do que ele diz, nós achamos que a sua ‘admiração’ por Israel é puramente eleitoreira, e dado que nós também somos uma minoria, nos identificamos puramente com aquelas que ele ataca”, disse o criador do grupo, o empresário Mauro Nadvorny. O presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib), Fernando Lottenberg, já disse que muitos empresários judeus apoiam Bolsonaro, apesar da maioria da comunidade preferir Geraldo Alckmin (PSDB).


VOLTAR PARA O ESTADÃO