26.10.2018 | 22h09

Após ameaças, coronel será monitorado

Após gravar vídeos ameaçando a presidente do TSE, Rosa Weber, o coronel reformado Carlos Alves será monitorado por uma tornozeleira eletrônica e terá de manter distância mínima de 5 km de dos os ministros do STF, do TSE e do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Segundo informações da Coluna do Estadão, ele é investigado  a pedido do Comandante do Exército, general Villas Bôas. A ordem foi expedida pela 5ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.


VOLTAR PARA O ESTADÃO