11.05.2018 | 14h22

Apoios ocultos a instituto de Gilmar

Planilha de patrocínios ao Instituto Brasiliense de Direito Público, o IDP, que tem como um dos proprietários e coordenador acadêmico o ministro Gilmar Mendes, mostra que, de R$ 7 milhões doados à entidade, R$ 3,46 milhões foram dados de maneira oculta por empresas ou entidades.

Os documentos constam de extensa reportagem da revista Crusoé sobre patrocínios ao instituto de Gilmar. A campeã em doações ocultas é a Souza Cruz, que contribuiu com R$ 2,6 milhões para eventos e projetos acadêmicos, mas não quis ter sua marca divulgada. Na lista de doadores ocultos ou que apareceram há várias empresas ou entidades com ações no STF.


VOLTAR PARA O ESTADÃO