12.09.2018 | 07h16

Apelo prematuro ao voto útil

A pregação de voto útil, que normalmente acontece na reta final das campanhas, chegou antes diante do quadro que mostra resiliência de Jair Bolsonaro e crescimento do candidato do PT, Fernando Haddad. Escrevi sobre isso na minha coluna no Estadão nesta quarta-feira.

Geraldo Alckmin (PSDB) foi o primeiro a indicar este caminho, ao dizer que “votar em Bolsonaro é um passaporte para a volta do PT”. Agora a mensagem chega à propaganda eleitoral. Mas a boia do voto útil não será unilateral. Ciro Gomes (PDT) e mesmo a sempre comedida Marina Silva (Rede) já se lançaram a ela diante da evidência de que os votos que tinham ou têm podem estar apenas fazendo uma escala até desaguar em Haddad. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO