16.09.2018 | 12h42

Anarquia militar

“Houve um tempo em que se sabia o nome dos ministros da Educação e da Saúde. Depois, as pessoas tiveram que aprender a composição do Supremo Tribunal Federal e conheceram também a péssima opinião que alguns deles têm de seus colegas. Agora começa-se a aprender nome de generais. Há o Villas Bôas, o Mourão e o Augusto Heleno e o presidente do Supremo Tribunal levou um quatro-estrelas da reserva para sua assessoria”, escreveu Elio Gaspari na Folha.

O colunista aponta que saber o nome de generais é um mau sinal. Indica que alguma confusão, algo estranho e fora da normalidade democrática está acontecendo. E que, quando militares ocupam a cena, uma confusão é substituída por outra, e começa, então, a anarquia militar.


VOLTAR PARA O ESTADÃO