03.11.2018 | 21h09

A ‘campanha’ de Amorim contra o País

O general Augusto Heleno, futuro ministro da Defesa do governo Bolsonaro, criticou duramente Celso Amorim, ex-chanceler de Lula e Dilma. Segundo o general, Amorim fez “barbaridades” para colocar o Brasil no Conselho de Segurança da ONU como membro permanente.

“Não deu certo. Ele conseguiu, no entanto, acesso à história pela porta dos fundos”, afirmou ao site O Antagonista. “É o primeiro ex-chanceler a usar vários diplomatas a ele ligados em uma campanha no exterior contra o seu próprio país, mentindo sobre a prisão de Lula. Atitude impatriótica, vergonhosa e injustificável.” / J.F.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO