20.05.2018 | 14h03

Amigos, amigos, negócios à parte

Cármen Lúcia rechaçou qualquer compromisso com possíveis padrinhos em seu mandato à frente da STF. Em especial com Lula, o réu centro das atenções nos últimos meses na Corte. A presidente do Supremo deu entrevista para o Canal Livre, da Band e explicou suas atitudes frente ao homem que a indicou ao cargo.

“A toga não é minha. É do Brasil. Ela tem que se submeter à Constituição. E, se tivesse que cobrar com condutas, se fosse com meu pai, eu não pagaria”, disse.  A entrevista deve ir ao ar neste domingo, à meia noite.


Mais conteúdo sobre:

Cármen Lúcia
VOLTAR PARA O ESTADÃO