05.04.2018 | 07h49

Aliança insólita e cheiro de acordão

O julgamento do habeas corpus de Lula mostrou uma aliança insólita, embora não inédita, entre Gilmar Mendes e dois adversários de longa data, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello. O trio reforçou uma percepção geral de que havia um acordão para salvar “todo o mundo político envolvido na Lava Jato”, escreve Eliane Cantanhêde em análise sobre o resultado do julgamento.


Mais conteúdo sobre:

STFgilmar mendesRicardo Lewandowski
VOLTAR PARA O ESTADÃO