09.03.2019 | 10h54

Ala militar nunca tolerou ministro do Turismo

A permanência de Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) à frente do Ministério do Turismo divide o presidente Jair Bolsonaro de um lado a favor do deputado licenciado e, de outro, auxiliares diretos, incluindo os militares, contra, informa o Estadão. A ala militar já não aceitava Álvaro Antônio desde a fase de transição do governo.

O pente-fino dos militares identificou que o ministro poderia dar dor de cabeça para o presidente antes mesmo de ele ser nomeado, mas a escolha atendeu a apelo do PSL, sigla do presidente. Ele e seus assessores próximos estariam envolvidos com irregularidades por meio da montagem de supostas candidaturas laranjas pelo PSL, nas últimas eleições, em Minas Gerais. Questionado ontem, Bolsonaro, no entanto, respondeu: “Deixem as investigações continuarem”. Vários ex-candidatos do PSL já relataram a implicação do ministro no esquema do laranjal.


VOLTAR PARA O ESTADÃO