22.07.2018 | 16h19

Ajuste obrigatório

O próximo presidente não poderá deixar de fazer reformas que cortem o gasto público de forma estrutural. É o que diz em artigo na Veja o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida.

“Não há alternativa. Precisamos avançar no ajuste fiscal para manter a inflação baixa, os juros baixos e a volta do crescimento econômico. O debate político de como fazer o ajuste é bem-vindo e necessário. Evitar esse debate é injusto com a sociedade, em especial com aqueles que mais dependem do acesso a serviços públicos essenciais, como saúde e educação.”

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO