17.04.2019 | 18h16

AGU tem 72 horas para se manifestar sobre inquérito

O ministro Edson Fachin, do STF, deu 72 horas para a Advocacia-Geral da União (AGU) se manifestar sobre a ação em que Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR) aponta abuso de poder por parte do presidente do tribunal, ministro Dias Toffoli, no inquérito sobre ameaças e disseminação de fake news contra integrantes da Corte e seus familiares.

“Ouça-se, com a urgência que o caso requer, o representante judicial da pessoa jurídica de direito público, Advocacia-Geral da União, no prazo de 72 horas”, determinou Fachin. Dentro da Procuradoria-Geral da República, há o temor de que procuradores entrem na mira da investigação do STF. Na ação proposta pela ANPR, é afirmado que o inquérito criado por Toffoli em 14 de março “não possui delimitações, sendo ilegalmente genérico e amplo”, tampouco aponta quem são os investigados, informou o Estadão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO