30.09.2018 | 11h38

Agora vai

A considerar pela indefinição dos rumos da política externa brasileira nos dois últimos anos, qualquer candidato que se sente na cadeira vai promover uma mudança “drástica” na área, informa a Folha. Jair Bolsonaro tem apreço por Donald Trump e pulga atrás da orelha com a China.

Fernando Haddad quer resgatar a altivez dos governos Lula; Geraldo Alckmin mira na Ásia, Europa e Estados Unidos; Ciro Gomes irá ao limite para impedir uma relação comercial de “protetorado” com os Estados Unidos, e Marina Silva, por exemplo, estamparia sua marca em defesa do meio ambiente.


Mais conteúdo sobre:

política externaeleições
VOLTAR PARA O ESTADÃO