09.10.2018 | 06h46

‘Agora o Haddad é o Haddad’

O PT, que passou o primeiro turno martelando a mistificação de que “Lula é Haddad, Haddad é Lula”, agora tenta vender o peixe de que o ex-prefeito de São Paulo, daqui para a frente, se guiará por suas próprias ideias.

A estratégia para ampliar a base de eleitores fica clara na fala do ex-governador e senador eleito pela Bahia Jacques Wagner, que recusou a candidatura presidencial do partido. “O Haddad chega ao segundo turno como a substituição do Lula, agora o Haddad do segundo turno é o Haddad”, disse, após reunião em que ingressou na coordenação da campanha do petista, segundo reportagem do Estadão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO